Tudo sobre Cibersegurança, Segurança da Informação e Proteção Digital.

As pequenas e médias empresas correspondem a uma parcela significativa do mercado de trabalho brasileiro.

Em 2019, as PMEs representavam 30% do produto interno brasileiro, o PIB. Além disso, 75% dos empregos formais gerados em janeiro de 2020, foram através de micro e pequenas empresas.

Os dados do Sebrae apontam que as PMEs são responsáveis por 70% da geração de renda dos brasileiros. Sendo uma parcela tão importante no mercado brasileiro, elas precisam, principalmente, pensar em cibersegurança e proteção dos dados.

As notícias vêm mostrando uma movimentação dessas empresas em direção à tecnologia e à cibersegurança.

Contudo, é necessário que você, prestador de serviços, que deseja oferecer serviços de segurança no mercado, conheça os riscos e as necessidades dessas empresas, além de como mitigá-los.

Para te ajudar, preparamos esse artigo, apresentando:

Falhas de segurança mais comuns em PMEs

Apesar das diferenças na operação, faturamento e ações, as empresas de todos os portes dependem de dados corporativos, como peças fundamentais para o sucesso do negócio.

Se tratando de pequenas e médias empresas, a Pesquisa Global de Riscos de Segurança de TI Corporativos da Kaspersky, realizada em 2020, apontou que metade das PMEs da América Latina sofreram com vazamentos de dados.

A remodelagem exigida pela crise do Covid-19 forçou uma transformação imediata de serviços e rotinas, aumentando as vulnerabilidades e os riscos de ataques.

Diante disso, para ofertar soluções, é necessário conhecer os problemas de segurança mais presentes na operação das PMEs:

Redes inseguras

Redes inseguras é um dos problemas de segurança mais enfrentados pelas pequenas e médias empresas.

As redes de computadores são estruturas físicas (equipamentos) e lógicas (programas, protocolos) que permitem que dois ou mais computadores possam compartilhar suas informações entre si.    

No campo das empresas, a rede é parte fundamental para o funcionamento dos negócios como um todo. Isso porque, através dela, é possível alcançar os dados e informações de uma organização.

As vulnerabilidades em uma rede ocorrem principalmente pela ausência de controle de acessos, falta de monitoramento e equipamentos inseguros ligados a ela.

Grande parte dos crimes cibernéticos ocorridos em PMEs, como vazamento, sequestro de dados, falsificação de conta e interrupção dos sistemas, acontecem através da exploração de redes inseguras.

Falhas no monitoramento de acessos

Um cenário com ausência de monitoramento e controle de acessos, torna-se o ambiente perfeito para exploração de falhas e propagação de infecções na rede corporativa.

Muitos gestores caem em uma falácia, acreditando que a necessidade de monitorar atividades e gerar indicadores é voltada apenas para as grandes corporações. Por isso, várias operações e vulnerabilidades dos sistemas acabam passando despercebidas.

Sem um controle de acesso e uma gestão de privilégios, fica muito difícil mitigar as ameaças, deixando o caminho livre para os cibercriminosos explorarem.

Senhas vulneráveis

Senhas: um problema para colaboradores, gestores e, por vezes, até profissionais de TI. A maioria das empresas de pequeno e médio porte negligenciam a importância de manter um gerenciamento de senhas seguras.

As ações imprudentes envolvendo senhas são muitas, desde anotá-las em um post-it ou no bloco de notas do computador; até utilizar uma senha padrão para os acessos de todos os serviços.

Quando uma empresa possui senhas vulneráveis, seja dos seus sistemas ou nos acessos de seus colaboradores, está apenas facilitando o trabalho dos crackers.

Acesso remoto inseguro

Em mais de um ano de pandemia, não há novidade em falar sobre home office e acesso remoto. As empresas adotaram o home office como uma maneira de sobrevivência.

Contudo, muitas empresas, principalmente as PMEs, falharam em enxergar que essa nova rotina precisaria de segurança redobrada.

O colaborador que antes estava ligado a rede da empresa, agora está em um cenário doméstico, com sua rede domiciliar, muito mais vulnerável, sendo um alvo fácil para cibercriminosos.

Consequentemente, os ataques explorando acesso remoto inseguro cresceram consideravelmente desde o começo da pandemia, e seguem explorando essa vulnerabilidade tão presente nas pequenas empresas.

Descubra mais dicas de segurança para o home office:

Falta de um plano de recuperação

Prevenção, mitigação e recuperação são os principais elementos para a segurança de uma organização. Infelizmente, muitas PMEs não trabalham nem a prevenção e nem a recuperação diante de um desastre.

Medidas como política de backups, disaster recovery e seguro digitais estão ausentes em muitas das empresas de pequeno e médio porte.

Na maioria das vezes, a justificativa para a presença dessas falhas de segurança é a falta de orçamento. Mas, será mesmo o único problema?

E como você pode oferecer alternativas para segurança das PMEs?

Descubra a seguir.

Como resolver os problemas de segurança das PMEs;

Como vimos, grande parte das pequenas e médias empresas possuem problemas de segurança. Diante disso, muitos profissionais de TI, em alguma medida, influenciados pelos gestores e empresários, podem cair no erro reducionista e dizer:

“É desinteresse. Falta de prioridade mesmo.”

O problema nessa afirmação é que ela aponta parte do problema, desconsiderando os elementos que sustentam essa situação. Sim, muitas PMEs ainda consideram a segurança como uma demanda secundária.

Contudo, muitas dessas empresas passaram a enxergar a segurança como uma necessidade importante para o negócio nos últimos anos.

Um estudo elaborado pela Kaspersky, apontou que as MPMEs da América Latina decidiram aumentar seus orçamentos de cibersegurança. O investimento cresceu de U$ 114 mil em 2019 para U$ 250 mil em 2020.

Uma movimentação bem considerável e coerente com o aumento no número de ameaças e lucratividade do cibercrime no mesmo período.

Sendo assim, é importante entender quais limitações ainda impedem que pequenas e médias empresas invistam em cibersegurança.

Conheça os três principais:

  • Soluções incompatíveis com a realidade financeira e a estrutura da empresa;
  • Ausência de suporte de qualidade;
  • Atendimento reativo;

Isso significa que um prestador de serviços de TI, que deseja aproveitar a oportunidade e oferecer segurança para PMEs, deve responder a essas demandas.

E por onde começar?

Mapeie os riscos

É necessário incorporar um regime de gestão de riscos apropriado em toda a organização. Isso deve ser apoiado por uma estrutura de governança com poderes, que sejam ativamente apoiadas pela administração.

Alinhe sua abordagem com o desenvolvimento de políticas e práticas aplicáveis. Estes devem ter como objetivo garantir que todos os funcionários, contratados e fornecedores, estejam cientes dessa abordagem.

Essa é a primeira etapa para tornar pequenas e médias empresas mais seguras. Através do mapeamento de riscos, você será capaz de identificar os problemas de segurança, mitigar ameaças, proteger as informações e recuperar a operação da empresa em um cenário de desastre.

Garanta segurança para a rede

Garantir proteção para a rede é fundamental. Defenda o perímetro da rede, filtrando acessos não autorizados e conteúdos maliciosos. Monitore e teste controles de segurança.

Estabeleça o monitoramento ativo

Estabeleça um monitoramento estratégico e produza políticas de apoio. Monitore continuamente todos os sistemas e redes. Analise os registros em busca de atividades que possam indicar ameaças ou ciberataques.

Ative configurações seguras

Aplique patches de segurança e garanta que sejam mantidas as configurações seguras. Crie um inventário do sistema e defina uma construção de linha de base para todos os dispositivos.

Desenvolva o trabalho Remoto

Desenvolva uma política para o trabalho móvel e treine os funcionários para se prepararem quando necessário. Aplique a linha de base segura e construa-a para todos os dispositivos. Proteja os dados em trânsito e em repouso.

Starti Security: uma solução completa de segurança, gestão e disponibilidade

Conheça como cada módulo do Starti Security soluciona essas demandas de segurança:

  • Guardian

Opera na identificação e prevenção contra intrusos na borda da rede. Com ele, você consegue aplicar um monitoramento mais preciso e eficaz dos acessos.

  • Voucher

Atua na liberação de acesso à internet para visitantes, evitando ameaças inesperadas através de visitantes na rede empresarial.

  • Control

Controle a banda (QoS) para usuários e grupos da rede; aumente a produtividade e eficiência dos recursos da organização.

  • Orchestrator

Balanceamento e redundância automática dos links, mantendo a consistência, oferecendo alta disponibilidade.

  • Appfilter

Controle de conteúdo por aplicação e evite ameaças inesperadas no ambiente empresarial.

  • Webfilter

Gestão de conteúdo para colaboradores.

  • Firewall / VPN

Segurança no tráfego e na comunicação de borda, protegendo a primeira camada da rede o acesso remoto.

Confira nossa playlist de webinars técnico e veja a operação de cada um desses módulos, na prática:

[Starti Tech #1] Firewall Modular: Descubra quais são as vantagens!
Descubra como funciona a solução de segurança para a rede mais eficiente e completa para atender seus clientes.

PMEs: como oferecer segurança

A pergunta que vem agora é:

Como oferecer todas essas camadas de segurança para pequenas e médias empresas?

Bem, lembra que um dos principais problemas que listamos aqui são soluções incompatíveis com a realidade financeira e a estrutura da empresa?

Sabemos que essa dificuldade afeta tanto as PMEs quanto os prestadores de serviços de TI. Pensando nisso, desenvolvemos o programa de parceria mais completo para prestadores de serviços de TI do Brasil.

Nós sabemos que 60% das PMEs no Brasil estão completamente vulneráveis.

E queremos que você tenha a oportunidade de adotar um modelo de negócio escalável, lucrativo e recorrente, capacitando-o a vender, entregar e gerenciar serviços de segurança com as ferramentas fabricadas pela Starti.

Essa é a proposta do Starti Partners. Clique no banner abaixo e fale com um especialista:

banner-parceria-2

Em nosso programa de parceria, você terá a oportunidade de desenvolver o seu negócio ofertando segurança, oferecendo uma solução modular que responde a cada um desses problemas de segurança que conhecemos aqui.

Só em 2020, foram investidos R$ 30 bilhões em serviços de segurança. Essa é uma oportunidade única de crescimento e transformação para os seus negócios.

Conclusão

As pequenas e médias empresas são uma parcela muito importante em nossa economia e, consequentemente, na vida dos brasileiros. Mantê-las seguras é fundamental para o nosso país.

Por isso, seguimos acreditando ser possível construir um Brasil mais seguro. E você, quer fazer parte dessa missão?

Acompanhe-nos em outras plataformas e descubra mais conteúdos:

Fontes

SYNNEX COMSTOR | Loupen