/ segurança da informação

5 maneiras para bloquear conteúdo impróprio

Há alguns anos a internet vem ganhando espaço e confiança dentro das empresas. Antigamente, poucas companhias reconheciam a real importância do mecanismo e acreditavam que ela podia de fato contribuir com os processos industriais.

Conforme ela foi tomando espaço e ganhando a confiança dos gestores, diversas práticas começaram a prejudicar a companhia e oferecer riscos a seus dados e informações confidenciais.

Inicialmente, era difícil identificar os malefícios que o acesso indiscriminado à internet podia oferecer ao ambiente de trabalho e ao sucesso financeiro da empresa.

Com o passar do tempo, gestores e instituições começaram a perceber que a internet poderia oferecer benefícios para a empresa sem que precisasse ser utilizada livremente por seus colaboradores.

A prática de gerenciar os acessos e a utilização da conexão e da rede possibilitou que as empresas reduzissem seus custos e garantissem mais produtividade por parte das equipes.

Mesmo com os avanços da tecnologia algumas companhias ainda não dão a importância necessária para suas informações e desconhecem os riscos que a internet pode oferecer. Algumas têm conhecimento dos perigos da rede, mas ainda não sabem como se resguardar.

Por isso, o artigo de hoje vai mostrar de forma simples como a sua empresa pode se preservar investindo pouco ou quase nada em segurança.

Conheça as opções para bloquear conteúdo impróprio e veja qual é a melhor para o seu negócio!

1- Navegadores de busca

Não importa qual é o sistema operacional utilizado nas máquinas da empresa, os próprios fabricantes de software como Google, Microsoft e Apple podem ajudar a proteger a rede da organização.

Os principais browsers de internet oferecem, em suas configurações, ferramentas de segurança.

No Google, por exemplo, é possível fazer o bloqueio através do Safe Search, na página “Preferências”. Ele elimina todo o conteúdo impróprio existente nas páginas de pesquisa. Para configurar clique em “Resultados de Pesquisa” e selecione “Bloquear o Safe Search”. Em seguida você será direcionado para uma página de login, pois as alterações só podem ser feitas com a inserção de uma senha de usuário do Google.

Após a ativação, o Google mostrará bolas coloridas na parte superior de todas as páginas de pesquisa que estiverem com o bloqueio do SafeSearch ativo. Se elas não estiverem aparecendo, é porque a ferramenta não está mais bloqueando.

Esse tipo de configuração é feita manualmente. Ou seja, para proteger as máquinas é necessário configurar os computadores individualmente. Além disso, não é possível obter relatórios dos acessos de cada usuário, para isso, seria necessário verificar o histórico de cada colaborador.

Se você optar por esse tipo de bloqueio é importante ficar atento aos sites que costumam ser acessados e ver os tipos de conteúdos que podem estar acessíveis.

2- Bloqueio DNS

Enquanto navegamos na internet podemos nos deparar com diversos conteúdos perigosos e muitas vezes nem sabemos o risco que estamos correndo. Em alguns casos o profissional pode ser apenas uma vítima, sem ter intenção alguma de acessar um conteúdo proibido pela empresa.

Afirmo isso porque, quando a rede não é protegida, um conteúdo malicioso ou pornográfico pode estar disponível para todas as pessoas e de todas as formas, seja em páginas que o colaborador está navegando, através de e-mails recebidos ou em banners escondidos.

E acredite, grande parte das páginas da internet está carregada de vírus, trojans, malwares e todo tipo de arquivo malicioso que você puder imaginar.

O bloqueio DNS é uma maneira de configurar os computadores da empresa para que eles restrinjam o acesso a esse tipo de conteúdo. O passo a passo é bem simples e não será necessário baixar e instalar nenhum programa, por outro lado esse tipo de restrição também deve ser feita manualmente, em cada computador, e com ela não será possível gerar relatórios sobre os acessos ou tentativas de acesso.

Para realizar o bloqueio acesse: Aprenda a bloquear sites pornográficos e perigosos no computador

3- Hosts

Antes de inventarem o DNS, o sistema identificava que determinado nome estava associado a um endereço de rede (IP) através do HOSTS. Com ele, ao invés de decorar locais na rede como números, bastava digitar o nome do local que, automaticamente, o sistema leria este arquivo em busca do endereço IP correspondente.

Com o passar dos anos, a resolução de nomes pelo arquivo HOSTS se tornou inadequada para redes muito grandes e acabou caindo em desuso.

Porém, esse ainda é o método preferencial dos sistemas operacionais para traduzir endereços IP em nomes “amigáveis”. Ou seja, quando uma requisição no navegador é feita para qualquer endereço digitado, o sistema operacional tentará verificar se este endereço pode ser resolvido pelo arquivo HOSTS. Caso a verificação não seja satisfatória o sistema recorrerá ao DNS.

Com algumas modificações no arquivo Hosts é possível bloquear qualquer site inadequado que você não quer que seja acessado nos computadores da empresa. O método é simples, gratuito, não requer a instalação de nenhum software adicional e é uma forma efetiva de impedir acessos que possam oferecer riscos ao seu negócio.

4- Programas de bloqueio gratuitos

Para quem deseja realizar um bloqueio mais intuitivo e simples e, em alguns casos, com opções de monitoramento, também é possível através de programas gratuitos.

Alguns tipos de softwares permitem controlar, monitorar a atividade do computador e limitar o acesso a sites e a execução de aplicativos, tanto em computadores, quanto em tablets ou smartphones.

Conheça algumas opções recomendadas pelo portal TechTudo.

5- Firewall

O firewall garante que a segurança da rede da empresa seja preservada, controlando os dados, que são transferidos para o computador interno ou que saem da rede, através da internet, e impede que softwares maliciosos possam invadir as máquinas.

Apesar de evitar ataques à rede existem diversos tipos de malware que podem chegar à sua empresa de outras formas, como em arquivos anexos a e-mails, e esse tipo de perigo não é bloqueado pelo firewall. Por isso, além de um bom firewall, sua empresa deve contar com um antivírus potente.

Há vários tipos de firewall no mercado, os gratuitos, pagos e até aqueles que já vêm no computador, basta configurá-lo.

O grande diferencial entre uma versão paga, gratuita ou o firewall local (disponível em qualquer computador) é o relacionamento com a empresa, o suporte e o entendimento dos processos e necessidades que serão resolvidas pelo produto.

Um firewall pago oferece mais segurança quanto à procedência e manipulação. Para quem não sabe ao certo como instalar e configurar um firewall, por exemplo, uma opção gratuita pode causar problemas e até colocar o computador e a rede em risco, causando perda de dados e tráfego de informações indevidas.

Veja as diferenças entre o AdmFirewall e um firewall gratuito.

Agora você já conhece as opções de bloqueio mais comuns. Antes de escolher uma ou outra é importante avaliar quais são as necessidades da rede e da equipe, fazer um levantamento dos tipos de acessos que vêm sendo realizados e quantos profissionais a companhia pode disponibilizar para administrar, gerenciar e realizar as configurações necessárias.

Esse último ponto é bastante importante.

Se você deseja obter relatórios dos acessos ou tentativas de acesso, por exemplo, em casos de bloqueio manual, terá que fazer o levantamento dessas informações manualmente também, acessando o histórico de cada máquina. Se desejar mudar as limitações de novos sites, também deverá fazer manualmente.

E então, as dicas foram esclarecedoras para você? Gostaria de acrescentar alguma informação? Deixe um comentário, vamos adorar conversar com você!