Vivemos em um período onde o limite do imaginável se funde cada vez mais com o realizável. É possível criar infinitas possibilidades a partir de uma ideia e, por meio dela, realizar tantas outras. Tudo isso graças as novas tecnologias.

Grandes empresas já estão realizando feitos notáveis através das possibilidades que a tecnologia oferece. Possibilidades essas que, muitas vezes, nem em um passado próximo poderíamos prever que seria possível tirar do papel.

Que as grandes corporações estão se desafiando cada vez mais para inovar utilizando as mais novas tecnologias a gente já sabe, mas onde entram as PME’s nessa história?

As pequenas empresas também podem – e devem- utilizar das novas tecnologias para inovar, mesmo que de uma forma mais discreta, sendo totalmente possível e cabível que essa também seja uma realidade do pequeno empreendedor.

A adoção de novas tecnologias pode trazer inúmeros benefícios para a saúde da empresa. E não estou falando sobre maquinários de última geração, mas sim da adoção de bons softwares de segurança da informação, programas que auxiliam o aumento da produtividade, aplicativos que facilitam a organização e compartilhamento de documentos, dentre tantas outras opções que estão no mercado para contribuir com o desenvolvimento de empresas a partir da tecnologia.

Como as novas tecnologias são adotadas?

Existe um famoso modelo no universo mercadológico conhecido como “A curva de adoção de tecnologia”, que mostra como funciona a aceitação por parte de quem a consome.

Essa teoria classifica os consumidores em 5 categorias: inovadores, adotadores iniciais, maioria inicial, maioria tardia e retardatários. Quando falamos em consumidores, estamos falando sobre quem irá utilizar o produto/serviço. No nosso caso, os consumidores que irão adotar as inovações serão as empresas.

Entenda cada perfil:

Inovadores (2,5%): são responsáveis pela adoção imediata de tecnologias. Geralmente possuem mais contato com o mundo tecnológico.

Adotadores iniciais (13,5%): Este é o segundo grupo que adotará uma nova tecnologia. Possuem o perfil de liderança, forte poder de tomada de decisão e são adeptos à inovação.

Maioria inicial (34%): Essa é a maior etapa da curva e abrange diferentes tipos de consumidores. Aqui, a nova tecnologia já está mais acessível para grande parte do mercado, passando a ter maior aceitação e penetração entre o público.

Maioria tardia (34%) – Esse grupo começa a demonstrar interesse pela nova tecnologia somente após perceber que outro grande grupo já aprovou a sua entrada no mercado. Em geral, as empresas que possuem esse perfil são céticas em relação à inovação e, preferem adotar ferramentas quando seu desenvolvimento está em um estágio mais avançado.

Retardatários (16%) – Este grupo é o último a adotar uma tecnologia. Geralmente apresentam um perfil mais tradicional e são resistentes a novidades. Preferem trabalhar da forma antiga e relutam para aceitar que precisam realmente das inovações do mercado.

Em qual dessas categorias a sua empresa está enquadrada? A tecnologia já faz parte do seu negócio ou ainda está iniciando a caminhada no mundo da inovação?

Como preparar sua equipe para receber as novas tecnologias?

Quando muitas pessoas estão em torno de um propósito, não é difícil que conflitos ocorram. Afinal, são diferentes perfis comportamentais a fim de alcançar um objetivo em comum.

Com a adoção de uma nova tecnologia na empresa, é recomendado que haja uma preparação da equipe para receber a nova “parceira de trabalho” com o intuito de que seja utilizada da maneira mais proveitosa possível.

A busca pelo equilíbrio entre a adoção da nova prática e a aceitação do time, concebeu um conceito chamado gestão de mudanças. O intuito é oferecer suporte no processo de adesão dos profissionais frente as novas maneiras de realizar o trabalho que eles já estavam acostumados.

A dica principal nesse aspecto é: treino. Treine sua equipe de maneira que a possibilite compreender todas as questões técnicas para utilizar a nova ferramenta, mas também deixe claro quais serão os reais benefícios que ela terá ao utilizar de forma integral. Mostre para seu time que a nova tecnologia foi adotada para elevar o nível do trabalho e não apenas para exibicionismo ou outra atitude do tipo.

As novas tecnologias devem ser aderidas para somar vantagens para a empresa. Se for vista como adereço supérfluo por quem irá operá-la, dificilmente irá entregar os resultados que poderia caso fosse reconhecido um maior grau de interesse.

E como reduzir os riscos ao adotar novas tecnologias?

Investir em algo que não dá retorno é um dos maiores medos dos gestores ao cogitar a contratação de um novo serviço.

Existem alguns passos que podem te ajudar a avaliar antes de se investir em novas soluções tecnológicas. Seguindo essas dicas será possível minimizar os riscos de uma aquisição mal sucedida, e também, aumentar as chances para que novos investimentos tenham impactos positivos dentro da sua empresas:

– Identifique qual é o objetivo ao investir em uma nova tecnologia

Tenha em mente quais são as principais dificuldades que a nova tecnologia irá solucionar. Deixe claro para o seu novo fornecedor quais são as suas expectativas em relação a contratação e de que forma esse serviço/produto poderá atendê-lo. A transparência nessa etapa é fundamental para reduzir as chances de insatisfações futuras.

– Prepare a casa

Assim como falamos anteriormente, é de suma importância que os profissionais que irão lidar com o novo recurso estejam preparados para isso. Selecione quem terá contato com o novo recurso e deixe-os familiarizados com cada função que o novo produto/serviço poderá desempenhar. Fazer vista grossa nesse caso é jogar dinheiro fora e não aproveitar a totalidade do novo trunfo que sua empresa tem nas mãos.

– Identifique riscos e quantifique-os

É muito importante que ao planejar a adoção de uma nova tecnologia, seja feito cálculos que mostrem os risco tanto em adotar quanto em não adotar. Uma dica é contratar um especialista para analisar e apontar quais serão os possíveis problemas que poderão surgir ao implementar a nova tecnologia. Tenha o cenário completo em mãos antes de tomar qualquer decisão. A cautela nesse caso, poderá te ajudar a escolher o melhor caminho a seguir.

Independente se a sua empresa faz parte do grupo mais inovador ou não, ter alguns cuidados para contratar novas tecnologias pode ser o diferencial no momento de investir no seu negócio. Planeje, avalie e analise todas as possibilidades para que o retorno seja o mais positivo possível.