O lucro e a economia são grandezas diretamente relacionadas em qualquer negócio. Por isso, perseguir maneiras e soluções de como economizar é um dos compromissos de qualquer gestor comprometido com a lucratividade.

A economia pode ser praticada em cada detalhe e, mais do que isso, ela deve ser projetada nos pequenos investimentos realizados pela empresa. Muitas vezes, um profissional mais completo, uma plataforma que facilita o trabalho ou mesmo um software que previne prejuízos futuros são escolhas caracterizadas como econômicas, pelo seu benefício em médio e longo prazo.

Muito bem, sabendo disso, quais são outras práticas interessantes para diminuir os gastos? Como economizar sem prejudicar a qualidade ou produção?

Separei algumas práticas atuais entre as empresas, que são fáceis de iniciar, exigem pouco esforço e, com certeza, levarão um impacto positivo para os seus resultados. Vamos conferir?

1-Compacto e eficiente

Talvez o seu foco esteja distorcido quando imagina que funcionários na empresa são sinônimos de produtividade alta. O que mais importa, na verdade, é que o horário de trabalho seja bem aproveitado. E, se bem aproveitado, o funcionário passa menos tempo na empresa.

Em outros países, como Holanda por exemplo, a hora extra é, inclusive, malvista, por significar incompetência, já que o colaborador não deu conta do que era necessário no tempo que foi estipulado.

No Brasil, esse ainda é um passo a ser dado. Mas quando o gestor encara a produtividade como economia, isso pode acelerar essa caminhada. Segundo a revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, algumas empresas já estão apostando nisso, como a OQVestir, em que as sócias orientam os empregados a não acessar redes sociais e moderar nas pausas. Assim eles trabalham por menos horas, fazendo um período mais compacto e eficiente.

Nesse caso, a empresa ganha com a economia de energia e hora extra, mesmo colhendo os resultados previstos, e o funcionário ganha com a qualidade de vida, ficando mais motivado. Ou seja, a empresa ganha de novo.

2- Visão macro

Outro ponto importante a ser destacado envolve a otimização de processos. Muitas empresas possuem falhas nesse ponto, seja na comunicação, burocratização ou número de etapas desnecessárias para determinado fim.

Acontece que as empresas possuem setores que estão interligados em suas tarefas de uma forma ou de outra. É exatamente isso que deve ser visto de forma macro: todas as dependências de todos os setores.

Tudo o que o setor de RH pode fazer para simplificar o trabalho do financeiro tem sido feito? Esse é só um exemplo, mas é mais do que necessário analisar a fundo essa questão para evitar refações, atrasos e problemas com a produtividade.

Os seus colaboradores também precisam estar a par do fluxo de trabalho. Não basta apenas se concentrar no próprio departamento. Cuide para que isso seja esclarecido e veja a diferença na agilidade e, consequentemente, na redução de custos.

3- Estratégia em primeiro lugar

Na hora de observar e planejar os pontos que podem trazer economia para sua empresa também é preciso estratégia. Além das práticas já citadas, existem ações mais diretas de economia como o corte de verba ou mesmo da mão de obra.

Nesses casos é preciso ser cauteloso para identificar o que realmente contribui para o lucro da empresa e seu funcionamento. Cortes horizontais nunca são indicados, por exemplo, pois existem partes mais e outras menos responsáveis pelo resultado final. Por isso, é necessário ponderar e ser analítico nesse momento, já que algumas ações podem ser definitivas.

4- Atenção aos softwares livres

Adquirir e utilizar softwares gratuitos na internet de certa forma significa economia, já que haverá um menor custo com as licenças, mas existem alguns contras. Esse é um fenômeno também classificado como “Shadow IT”, que faz alusão ao que está na sombra da tecnologia da informação.

Isso é mais comum do que se imagina nas empresas. Os colaboradores realmente buscam soluções sozinhos e, na maioria das vezes, não comunicam ao setor de TI.

O problema que isso pode acarretar? Gastos com suporte, assistência e falta de segurança na rede, que também traz gastos embutidos na reparação (isso quando há a possibilidade de reverter o acidente).

Por isso, fica a dica: tenha controle sobre os softwares utilizados dentro da empresa e pondere os softwares livres.

Aplicando essas dicas à sua realidade, você claramente colherá bons frutos em relação a melhoria dos processos, economia e lucros.

É claro, não se esqueça do básico como digitalizar mais, minimizando as perdas e custos, renegociar as dívidas, diversificar os fornecedores, comprar produtos em atacados e, também, evitar a alta rotatividade dos funcionários (que colabora para a perda de qualidade e afeta diretamente os ganhos).

Espero que esse artigo possa te ajudar a adotar novos hábitos, para a economia de sua companhia e seu melhor desempenho no mercado.

Muitas dessas práticas podem trazer diferenças mínimas quando sozinhas, mas somadas fazem toda a diferença em suas finanças. Por isso, não pare no meio do caminho, apenas comece de onde está.

Gostou? Quer compartilhar mais alguma prática com a gente? Deixe suas considerações nos comentários para que possamos conversar!