A Tecnologia da Informação deixou de representar um diferencial competitivo para se tornar uma área de movimentação de projetos obrigatória à sobrevivência das empresas no mercado. Dentro desse contexto, indissociável da era virtual, as organizações que ignorarem o peso do departamento de TI correm o risco de se tornarem obsoletas e perderem o seu espaço no mercado.

Lidar com tecnologia envolve gastos com atualizações de equipamentos relativos à infraestrutura e a renovação de licenças, pois é preciso manter a fluência e continuidade dos projetos. É urgente compreender que gastos desse tipo representam um investimento na própria empresa, afinal a infraestrutura acaba por ser, de alguma forma, compartilhada e usufruída por toda a organização. Nesse sentido, não é difícil perceber a necessidade de manter o setor de TI organizado, com metas, custos e orçamentos bem definidos. Entenda melhor o porquê.

A visão sobre os custos e orçamentos com TI

É um equívoco encarar o setor de TI como um centro de custos. Essa compreensão distorcida acontece porque esse tipo de investimento não produz ROI (Return Over Investment) diretamente.

Desenvolver soluções em TI implica custos, mas é um investimento na empresa, assim como qualquer outro gasto necessário para criar, comercializar ou produzir.

Os custos que uma empresa venha a ter são justificáveis desde que contribuam para a criação de valor, isto é, para fazer com que os produtos e serviços oferecidos pela empresa sejam mais valorizados diante do mercado.

Ter um orçamento e metas definidas para TI é uma forma de planejar os gastos e direcionar esforços para que o desenvolvimento de soluções tecnológicas contribua favoravelmente ao bom desempenho da organização.

Um ativo que gera resultados

Tecnologia da Informação é também um ativo da empresa. Se os bons resultados de um negócio dependem de uma gestão eficiente de seus ativos, administrando custos e orçamentos, tudo se resume ao fato dos ativos movimentarem, ou não, fluxos de caixa positivos.

Não resta dúvida de que as soluções em Tecnologia da Informação são impactantes nos resultados da empresa. Portanto, manter o setor organizado e bem direcionado é o caminho ideal para trazer progressivas conquistas e o melhor aproveitamento dos investimentos absorvidos pelo setor.

Uma questão de gestão de recursos e organização

Conhecer os efeitos gerados pelos ativos na rentabilidade da empresa é motivo suficiente para decidir se um segmento deve ou não receber recursos e operar a partir de um orçamento que cubra despesas e evite imprevistos.

Por outro lado, as quantias destinadas ao setor não devem, assim como não deve acontecer em qualquer outro, ser colocadas nas mãos de quem apresente pouca competência para geri-las. Estabelecer os custos e orçamentos destinados para TI implica planejamento e a manutenção de um departamento organizado, com objetivos claramente determinados e a elaboração de um orçamento específico.

Independente do tamanho da empresa, discutir os custos e orçamentos para aplicar no departamento de TI requer primeiro que se compreenda a importância norteadora de um setor como esse para o rumo dos negócios. A segurança de um orçamento é o que permite ao setor administrar com mais propriedade os recursos entre os projetos que desenvolve, otimizando resultados.

Além disso, colaboradores e diretores devem estar cientes de que esse tipo de investimento trará resultados positivos para a companhia. Destacar a importância do setor para a empresa é uma forma de conscientizar toda equipe. Confira outras formas de fazer isso em Cinco passos para tornar o departamento de TI mais relevante.

Convencido sobre a importância de estabelecer um orçamento para sua área de TI? Tem dúvidas ou sugestões que deseja compartilhar? Comente e participe!

banner_bottom_blog--4--1