Em momentos de buscar soluções para a redução de custos nas empresas, vale retomar e aprofundar o conhecimento em um tópico conhecido nosso: a produtividade.

Você inclui práticas de produtividade em sua empresa? Essa é uma prioridade para você?

Infelizmente, o Brasil não possui um bom histórico em relação a esse assunto. Mesmo se comparado a outros países emergentes, estamos em um patamar baixo de produtividade e a razão disso não é segredo: a baixa escolaridade.

Esse é um dos motivos diretos para a baixa produtividade nas empresas e poucos empreendedores dão a devida atenção a este ponto, por talvez não conseguir enxergar o relacionamento direto entre essas duas competências.

Mas a verdade é que trabalhadores mais qualificados têm condições de produzir mais e melhor. O único problema, então, passa a ser a qualidade dessa educação, já que mesmo escolhendo profissionais com currículos escolares adequados encontram-se divergências de interesses.

O que é preciso então? A princípio alinhar o conhecimento que as instituições transmitem com a necessidade das empresas, mas até lá as empresas podem fazer a sua parte aprendendo outras lições definitivas sobre produtividade.

A produtividade é o resultado de um bom trabalho em conjunto e, muitas vezes, o pontapé inicial é o grande diferencial para ver boas mudanças acontecendo.

A sua empresa está pronta para colocar essas lições em prática? Confira, compare com o que tem feito e coloque novos projetos em prática:

Lição 1: Desenvolvimento humano

Ao falar de produtividade, estamos falando o tempo todo de pessoas. Logo, se desejamos obter melhores resultados delas, devemos entregar motivação e espaço para o seu desenvolvimento.

Toda empresa pode fazer a sua parte não apenas incentivando os estudos, mas também promovendo programas de capacitação.

É preciso conhecer e entender cada profissional, suas atribuições e competências para, assim, investir nas habilidades e conhecimentos complementares, além de cultivar a cultura de constante aperfeiçoamento, reciclagem e inovação.

Ações desse tipo auxiliam no desenvolvimento das atividades diárias, garantem a eficiência, um bom trabalho em equipe e, acima de tudo, o comprometimento com a organização.

Lição 2: Tecnologia

Ainda pensando na raiz dos problemas com a produtividade, após trabalhar as competências humanas, é necessário avaliar os equipamentos de trabalho e condições para realizar o mesmo.

Como estão os processos? Quais deles a empresa pode melhorar? Quantas etapas podem ser otimizadas? Que tipo de tecnologia poderia facilitar o trabalho da equipe e melhorar o desempenho?

Responder a essas questões é essencial. E a próxima etapa é pesquisar e conhecer soluções tecnológicas que podem impulsionar o crescimento da empresa.

Segundo a BBC, no Brasil, os níveis de investimento nessa área são baixos e ainda falta uma certa coordenação das políticas públicas de estímulo à inovação.

Mais uma vez, é preciso ir contra a corrente e inovar por conta própria. Na linha da produtividade, é possível encontrar diversos gerenciadores de tarefa que ajudam muito o dia a dia dos profissionais, assim como agendas e outros produtos que tornam mais práticas as tarefas do dia a dia.

Já em relação ao gestor, também é possível implementar soluções que afetem a produtividade de toda a empresa. Além de planos de carreira e metas, a tecnologia pode contribuir, por exemplo, na economia de links da internet e melhor desempenho de seus setores.

É o caso do AdmFirewall, firewall de segurança que tem como uma de suas funcionalidades o controle de banda. Essa é uma tecnologia que permite o controle da banda contratada, distribuindo o quanto cada setor ou usuário pode utilizar de downloads e uploads. Parece simples, mas muitas empresas conseguem otimizar a velocidade da internet e a produtividade dos setores, sem prejudicar os que mais precisam da conexão.

Lição 3: Sinergia

A sinergia das pessoas na empresa também colabora para a produtividade. Vale a pena possuir um plano de cargos e salários e um programa de objetivos para cada colaborador.

Cada um deve saber claramente sua missão na empresa e suas responsabilidades. Esse simples ponto já promove a sinergia do trabalho em equipe e torna-se possível a comunicação clara entre as pessoas, o que garante a fácil assimilação dos valores e princípios da empresa.

A comunicação interna é crucial no engajamento das pessoas por uma causa em comum. Logo, ter uma relação de confiança entre a liderança e o grupo e um canal de comunição aberto é definitivo para a produtividade.

Lição 4: Metas

Talvez o que separe as empresas brasileiras de outras em relação à produtividade é esse ponto: metas.

Não temos o hábito de quantificar sistematicamente os resultados e raramente sabemos mostrar em números os resultados de nossas ações.

Se a sua empresa é diferente, você está no caminho certo. Mesmo assim, vale a pena reforçar a importância do pensamento estratégico e de determinar metas de produtividade, inovação, exportação, etc.

É tempo de controlar documentos, atrasos na produção, desperdícios e tudo o que esteja relacionado às operações. Só assim será possível traçar um objetivo visível e nítido para que todos trabalhem alinhados.

Conclusão

Mesmo o Brasil não sendo modelo em produtividade, algumas empresas podem sair na frente e se destacar valorizando o seu potencial humano, crescendo com as tecnologias e traçando objetivos estratégicos em equipe.

Gostou do artigo? Quer dividir com a gente como anda a produtividade em sua empresa? Deixe um comentário

cabecalho_e-mail--3--2