Tudo sobre Cibersegurança, Segurança da Informação e Proteção Digital.

Cavalo de Troia (Trojan Horse, ou simplesmente Trojan), é um tipo de malware - ou seja, um software malicioso - que comumente se passa por bom moço ao se disfarçar de um programa legítimo, com o intuito de enganar sua potencial vítima.

Não, não estamos falando grego. Você pode conhecer mais sobre malwares neste artigo:

O que é malware? Descubra como se proteger dessa ameaça!
Acredito que você já tenha escutado ou lido essa palavra, mas você sabe o que é um malware? O termo malware é a abreviatura de Malicious Software, que é um software desagradável ou maligno que propõe-se acessar secretamente um dispositivo ou máquina sem o conhecimento do usuário, com o fim de danifi…

Assim como no conto mitológico - onde soldados troianos são ludibriados por um suposto presente vindo de seus inimigos - os cibercriminosos utilizam de toda uma engenharia social como estratégia para adentrar, sorrateiramente, às fortalezas sistêmicas de uma rede privada ou corporativa.

Há vários tipos específicos de trojans; a maioria deles projetada especialmente para atingir organizações empresariais.

Segundo dados do mais novo relatório de cibersegurança global da agência Check Point, 97% das empresas de todo o mundo sofreram, ao menos, uma investida desse tipo de software em 2020. O curioso é que entre os principais alvos estão os dispositivos móveis dos colaboradores.

Sim, malwares do tipo Cavalo de Troia não são apenas uma ameaça a notebooks e desktops!

Assim como na forma de ataque a computadores, o trojan se apresenta como um aplicativo autêntico, embora, no fundo, seja uma versão falsa do app repleta de programas maliciosos.

Uma vez ativado, este "presente de grego" permite que o atacante que o controla tenha acesso ao sistema da vítima, e assim consiga espionar suas ações e alterar, excluir, roubar e até mesmo bloquear seus dados confidenciais.

O Cavalo de Troia é uma das maiores ameaças cibernéticas vigentes. Com isso, providenciaremos aqui 5 poderosas armas para o seu combate.

São elas:

Conscientização

Segundo o relatório da Verizon sobre violação de dados (DBIR) de 2021, 85% das violações que ocorreram no mundo, em 2020, envolveram um elemento humano.

Isso se dá pelo fato de que, na corrente da cibersegurança, o fator humano é sempre o elo mais frágil. Portanto, a conscientização das pessoas é uma das armas mais potentes para se defender das invasões de trojan.

Devido à sua versatilidade, esse programa malicioso pode se disfarçar de qualquer coisa; desde softwares legítimos, como já vimos, até pop-ups, arquivos de música, anexos e sites pra lá de atrativos e aparentemente inofensivos.

Assim, ser atraído por essas iscas ardilosas, não é algo muito difícil, e qualquer atitude mais desatenta por parte do usuário pode ocasionar a destruição do seu sistema, via Cavalo de Troia.

E como o sucesso desses ataques depende de um simples clique da presa, grande parte das invasões a uma rede são evitáveis uma vez que os usuários estejam cientes do alto risco de suas ações na web, e educados quanto ao proceder frente a essas ameaças.

Ser cético em relação a ofertas "boas demais para serem verdade", não acessar endereços eletrônicos que não sejam seguros, nem clicar em links e anexos contidos em emails de remetentes estranhos, são algumas das ações mais básicas para se precaver de uma infecção trojan.

2. Firewall

Mas a vigilância não é a única arma para se prevenir contra um Cavalo de Troia.

Uma vez que você esteja ciente dos altos riscos de suas ações quanto à exposição a esse mal, você precisa de segurança.

Por mais prevenido que alguém possa ser, uma proteção externa é sempre necessária. É assim na vida, e é assim também no cibermundo.

Portanto, nessa batalha pela segurança digital da informação, o firewall é uma ferramenta essencial.

Essa espécie de parede corta-fogo cibernética protege as portas da sua rede, limitando o acesso de usuários descredenciados, e diminuindo, assim, o risco de invasores (muitos deles oriundos de trojans) terem acesso aos seus dados pessoais.

Um robusto firewall é extremamente importante para que suas informações estejam mais protegidas contra ataques internos, mas essa não é a única solução de proteção contra os crackers.

Existe um forte aliado que complementa o trabalho protetivo da parede de fogo.

Você pode aprender um pouco mais sobre firewall por meio do nosso e-book:

banner-blog-2

Ou lendo nossos outros artigos:

O que é Firewall?
Firewall: 3 coisas que você ainda não sabe!
Quais os tipos de Firewall e suas diferenças?
Gestão do firewall: Segurança e resiliência para a sua rede!

3. Anti-malware

Nessa guerra pela cibersegurança, seu exército precisará também de um programa anti-malware ou antivírus para expelir visitantes indesejados (como os Cavalos de Troia) da sua fortaleza digital.

Essas ferramentas detectam ações e arquivos maliciosos, impedindo sua auto replicação (bloqueando assim sua proliferação na rede e, consequentemente, maiores danos ao sistema), e atuando na remoção dos malwares com o objetivo de restaurar o seu dispositivo.

4. Atualização

Outra forma de se proteger de um ataque por trojans - e uma das mais negligenciadas - é atualizar o software operacional da sua máquina ou dispositivo móvel, assim que as atualizações são disponibilizadas pelo provedor.

Além dos updates do seu sistema, fique atento também às atualizações disponíveis para os demais programas que estão sendo executados em seu computador.

Cibercriminosos se aproveitam facilmente das brechas latentes em softwares desatualizados. Assim, garantir os mais recentes upgrades de segurança é vital nessa batalha contra invasores infiltrados em um Cavalo de Tróia.

5. Configuração

Há também algumas configurações manuais que podem ser muito úteis na proteção do seu sistema.

Se você utiliza Windows, uma boa medida é alterar sua configuração padrão, para que as extensões reais dos programas e aplicativos estejam visíveis, pois os ícones de softwares trojans aparentam sempre uma inocência totalmente distinta da sua malícia intencional.

E não apenas isso. Configurar suas senhas de forma distinta, e complexa, e seu software de defesa, para que execute verificações automáticas periodicamente, são partes valiosíssimas de uma boa armadura contra inimigos cibernéticos.

Conclusão

Estar vigilante quanto ao que baixar e no que clicar, utilizar boas ferramentas de prevenção, identificação e remoção, além de estar sempre atento às atualizações e configurações do seu sistema, são armas extremamente poderosas para combater um ataque invasor por Cavalo de Troia, que diferentemente do seu homônimo lúdico, não é um simples mito.

Quer se aprofundar mais no assunto? Confira:

Segurança Digital: Minha empresa precisa dela?
Tudo sobre Segurança Cibernética

Que tal ficar por dentro do mundo da cibersegurança e conhecer outras armas para a batalha contra os ataques cibernéticos?

Acompanhe-nos nas redes sociais e tenha acesso a conteúdos semanais:

Fontes

Kaspersky |  AVG |  Norton