Tudo sobre Cibersegurança, Segurança da Informação e Proteção Digital.

Pentest, ou Teste de Intrusão, é nome dado ao teste realizado em uma rede, ou sistema de computadores, para descobrir vulnerabilidades e riscos de segurança.

Além disso, esse nome também é utilizado para definir o profissional que é especialista em segurança e executa esse teste, por vezes chamado de Hacker Ético.

Através do pentest, é possível descobrir qual o tamanho do dano que uma invasão causaria aos computadores e à rede.

Neste artigo você descobrirá:

  • Como funciona o pentest;
  • Formas de execução, os tipos;
  • A importância da ferramentas da cibersegurança.

Como funciona um Pentest?

O pentest é um teste de invasão manual, feito em uma aplicação web, ou em uma rede, para identificar vulnerabilidades e falhas de segurança.

Sendo executado por um especialista de segurança, ele é capaz de reconhecer vulnerabilidades mais complexas, que podem causar grandes impactos e como precisam ser corrigidas.

No ambiente de redes, uma das técnicas executadas no teste de intrusão é o escaneamento de todas as portas TCP e UDP existentes, para examinar se não existem portas, sem filtros, abertas.

Vale lembrar: mesmo quando uma empresa utiliza ferramentas de cibersegurança, como um firewall, ainda assim é indicado realizar testes de intrusão para evitar problemas de portas e novas vulnerabilidades sejam exploradas.

Ademais, nenhuma solução de segurança é infalível, por isso o pentest é tão importante.

Além das portas abertas e fechadas, o pentest também são realiza verificações de vulnerabilidades com base em portas abertas e serviços que estejam rodando no servidor.

Um servidor web, como o apache (http / 80), obrigatoriamente, precisa ter a porta 80 aberta, por isso, se a porta 80 for fechada por um firewall, o serviço não irá funcionar.

Então, o jeito é deixar a porta aberta para que o servidor seja acessado, mas, é claro que as vulnerabilidades do servidor web (apache) não devem ser ignoradas. O servidor deve ser testado para verificar e fechar possíveis vulnerabilidades.

Formas de ser executado

De uma forma bem simples, podemos afirmar que o teste de intrusão é a aplicação de vários métodos e tentativas de invadir um sistema ou rede, que possui políticas de segurança com o intuito de evitar que um real invasor encontre vulnerabilidades e realize um ataque.

Esses testes podem ser executados de várias formas, separamos as seguintes categorias: White Box, a Black Box e a Grey Box.

White Box

Um dos teste mais completos é o White Box (Caixa Branca). Ele executa uma análise total, avaliando toda a infraestrutura da rede.

Isso se dá, pois, ao dar início ao Pentest, o hacker ético (ou pentester, nome dado aos profissionais que atuam com esses testes) já possui conhecimento de todas as informações essenciais da empresa, como topografia, senhas, IPs, logins e todos os outros dados que dizem respeito à rede, servidores, estrutura, potenciais medidas de segurança, firewalls, etc.

Tendo essas informações elementares, o teste poderá direcionar precisamente seu ataque e descobrir o que precisa ser aprimorado e reorientado.

Por ser um volume alto de informações preliminares, geralmente esse tipo de Pentest é realizado por membros da própria equipe de TI da empresa.

Black Box

O teste da “Caixa Preta” é quase como um teste às cegas, pois, segue a alegação de não possuir grande quantidade de informação disponível sobre a corporação.

Embora seja direcionado, pois, atingirá a empresa contratante e descobrirá as vulnerabilidades dela, o Pentest de Caixa Preta é o mais próximo de seguir as características de um ataque externo.

Devido à essas características, sem grande mapeamento de informações, ele atuará de forma extremamente similar à de cibercriminosos, o que pode ser bastante útil, caso não parta de forma maliciosa, e sirva apenas como um método de reconhecer fragilidades na estrutura de rede.

Grey Box

O último teste pode ser apresentando como uma mistura dos dois tipos anteriores, por isso o nome Grey Box (Caixa Cinza), pois possui algumas informações específicas para realizar o teste de intrusão.

Porém, é uma quantidade de informações baixa, não se equiparando à quantidade de informações no teste de Caixa Branca. Esse teste é realizado, baseando-se na quantidade de informações específicas que se tem.

Os tipos de pentests

Existem seis tipos de pentests, a saber:

  • Teste em Serviços de Rede
  • Teste em Aplicação Web
  • Teste em Rede sem fio
  • Teste de engenharia social

Teste em Serviços de Rede: são realizadas análises na infraestrutura de rede da corporação, em procura de fragilidades que podem ser solidificadas. Neste quesito, é avaliado a configuração do firewall, testes de filtragem stateful, etc.

Teste em Aplicação Web: é um mergulho profundo no teste de intrusão, onde toda a análise é extremamente detalhada, e vulnerabilidades são mais facilmente descobertas por basear-se na busca em aplicações web.

Teste de Client Side: neste tipo de teste, é possível explorar softwares, programas de criação de conteúdo e Web browsers (como Chrome, Firefox, Explorer etc) em computadores dos usuários.

Teste em Rede Sem Fio: examina todas as redes sem fio utilizadas em uma corporação, assim como o próprio nome afirma. São feitos testes em protocolos de rede sem fio, pontos de acessos e credenciais administrativas.

Teste de Engenharia Social: informações e dados confidenciais são passíveis de roubo, por meio de manipulação psicológica, numa tentativa de induzir o colaborador a repassar itens que devem ser sigilosos.

A importância das ferramentas de cibersegurança

Imagine uma casa sem proteção, sem um muro ou uma cerca, com um portão bem baixo e de fácil entrada. Mas, é uma casa pequena, simples.

Talvez você tenha a ilusão de que, por essa razão, os criminosos não irão olhar para ela como um possível alvo. Assim como toda casa, que possua minimamente algum bem, é um alvo para um ladrão, a mesma coisa ocorre com as empresas.

Por mais que estejamos sempre falando da importância de cuidar e proteger as informações de uma empresa, tem sempre aqueles que acreditam que somente as grandes empresas são alvos dos atacantes.

Entretanto, às notícias apontam que as pequenas e médias empresas são os principais alvos de cibercriminosos.

Por essa razão, é de extrema importância que as organizações possuam um plano de segurança digital e utilize soluções de segurança em seus ambientes.

Ferramentas, como: o firewall, antivírus, web filter, IDS/IPS, VPN entre outras. O pentest é mais um dos recursos de grande importância para identificar as vulnerabilidades, possibilitando uma proteção mais segura.

Ele atuará garantindo o conhecimento das vulnerabilidades, apontando os riscos existentes, possibilitando, assim, a elaboração do plano de segurança e a execução que garanta o uso das ferramentas de segurança de maneira efetiva e eficaz.

Conclusão

Podemos concluir que o pentest é um recurso de fundamental importância na manutenção e cuidado com as informações e dados, que deve ser usado como uma das medidas de segurança e proteção para a saúde da rede de qualquer empresa.

É importante lembrar a você que o cuidado com essa saúde começa com a conscientização dos riscos existentes e a necessidade de mitigação dos mesmo.

Acompanhe-nos em outras plataformas e confira mais conteúdos:

YouTube | Facebook | Instagram | LinkedIn | Podcast Távola Redonda | Canal no Telegram

Receba os conteúdos melhores conteúdos gratuitos sobre cibersegurança: