Vulnerabilidade: como manter sua empresa segura?

Segurança Cibernética Abr 03, 2020

Vulnerabilidade: uma característica para definir alguma coisa ou alguém que é vulnerável, frágil, delicado. É um termo utilizado para caracterizar a fraqueza de um indivíduo ou de algo.

Dentro da Segurança da Informação, as vulnerabilidades são descritas como riscos, sendo brechas que podem ser exploradas por criminosos na execução de ataques cibernéticos com o fim de aplicar golpes, roubar informações de uma pessoa ou empresa.

Da mesma maneira como os avanços tecnológicos são constantes, as estratégias e técnicas por parte de criminosos também avançam, buscando meios mais eficazes de utilizar as falhas nos sistemas e nas ações das pessoas para execução dos ataques.

Isso porque, as vulnerabilidades podem ser utilizadas e combinadas com outras estratégias, para que os hackers criminosos obtenham maior sucesso em seus ataques.

Por isso, para manter a segurança de uma empresa, é necessário entender quais são essas vulnerabilidades, como elas podem ser exploradas e como a segurança da informação oferece soluções para mitigar suas ações.

É exatamente sobre esse assunto que iremos tratar hoje. Nesse artigo, você irá entender:

Quais são as vulnerabilidades e estratégias utilizadas pelos criminosos;
Compreender o que é a Segurança da Informação;
Como nós podemos te ajudar a mitigar as vulnerabilidades.

Preparado? Então vamos lá!

Era da tecnologia e dos riscos

Falar que estamos na era da tecnologia soa um tanto repetitivo. Afinal, a tecnologia já faz parte da vida das pessoas de uma maneira tão comum, que ela não é mais algo extraordinário. Porém, é claro que estamos inseridos em uma era de constante
transformações.

Essa era é conhecida como a era da Indústria 4.0, devido aos avanços e a fusão do mundo físico, digital e biológico, e os impactos que ocorreram e continuam a ocorrer em toda a sociedade.

Tais avanços, assim como tudo na vida, apresentam benefícios e riscos também, porque na medida que a tecnologia avança, aumentam-se os riscos de ataques cibernéticos.

Afinal, as empresas estão inserindo mais tecnologia em seus processos, e, por consequência, tornando-se mais vulneráveis. Isso porque, os processos que anteriormente eram operados apenas de maneiras físicas e palpáveis, passam agora a ser digitais, operados por softwares, abrindo assim pontos de vulnerabilidades.

Vejamos agora um pouco mais a fundo sobre essas vulnerabilidades e estratégias envolvidas nos ataques.

As vulnerabilidades

As vulnerabilidades fazem parte do ponto inicial na estratégia de um ataque cibernético. Quando um criminoso vai executar seu ataque, ele faz uso de quatro pilares: objetivo, estratégia, inteligência e o alvo.
O objetivo é roubar dados e informações.

A maneira como eles serão utilizados podem ser diversas: extorsão financeira ( ataque ransomware), exposição de informações sigilosas para denegrir reputações, compras, tornar um serviço ou site de uma empresa indisponível, etc.

Já a estratégia é o ponto em que entram as vulnerabilidades. Elas podem estar localizadas em diversas áreas de uma empresa. Por exemplo, em formas de armazenamento de informações, meios de comunicação, infraestrutura de TI, e até mesmo no material humano da empresa.

A estratégia é o caminho que será utilizado para execução do ataque. Uma vez que essa foi escolhida, entra em cena a inteligência, que é o recurso que será utilizado.

Aqui entram os malwares, que são softwares desagradáveis ou malignos que propõe-se acessar secretamente um dispositivo ou máquina sem o conhecimento do usuário, com o fim de danificar ou desabilitá-lo.

E o alvo é a empresa ou indivíduo escolhido pelo criminoso. Existem muitos tipos de ataques cibernéticos. Desde os mais conhecidos como o phishing, ransomware, brute force, trojans bancários, etc, até os novos ataques desenvolvidos, como vem sendo apontado pelas pesquisas, que só no ano de 2019 houve um aumento de 14% na diversidade de malwares.

Reforçando a ideia de que, quanto mais a tecnologia avança, mais os atacantes criam novas estratégias e desenvolvem novas inteligências para executar suas ações.

Preparamos um infográfico para mostrar os dados sobre os ataques e dicas para você não ser mais um alvo deles, confira:

blog

Por isso, tão fundamental quanto conhecer as vulnerabilidades, é entender como os recursos e medidas da Segurança da Informação podem ajudar a mitigar os riscos, protegendo as empresas. E é o que veremos agora.

Segurança da Informação: o caminho para mitigar as vulnerabilidades

A segurança da informação é a área que engloba ações e ferramentas para  proteção de dados e informações das organizações contra ameaças diversas. Essa área tem o objetivo de mitigar riscos e garantir a continuidade das operações nas organizações.

Apesar do conceito ser amplo, podemos entender de forma mais clara ao dividi-lo em duas partes:

  • Informação: conteúdo de valor para uma empresa ou profissional;
  • Segurança: a percepção de proteção contra perigos, ameaças e incertezas.

Ao contrário do que muitos ainda pensam, a segurança da informação não é uma preocupação que deve ser considerada apenas por grandes empresas. Infelizmente, muitos ataques continuam ocorrendo, pois existe uma falta de compreensão da importância de ações seguras.

As pequenas e médias empresas são as que menos consideram a necessidade da segurança da informação, sendo consequentemente as mais vulneráveis. O que muitas vezes não é considerado por essas empresas é que aqueles que são mais vulneráveis, tornam-se as presas mais almejadas por criminosos.

Diante disso, é fundamental entender a importância dos recursos da segurança da informação, para que os negócios continuem funcionando.

“Mas, quais caminhos tomar? Por onde começar a mitigar as vulnerabilidades e manter uma empresa segura?”

Vamos apresentar alguns passos simples, para te ajudar.

4 passos para mitigar vulnerabilidades

Vejamos, de maneira mais didática, como diminuir as vulnerabilidades:

1- Conheça as vulnerabilidades da sua empresa

O primeiro passo para diminuir as vulnerabilidades e riscos é conhecê-los. Isso pode ser feito pela equipe ou profissional de TI da empresa. Ele irá fazer um mapeamento de riscos, pontuando as vulnerabilidades e brechas da rede e do ambiente empresarial.

Nesse passo, também pode ser executado um scan de vulnerabilidades, uma ferramenta que faz uma varredura em IP’s externos ou ativos na rede interna, tipificando as vulnerabilidades por riscos, identificando e classificando as possíveis brechas de segurança presentes na rede.

Outros recursos, como o Pentest, também agregam na elaboração de soluções mais precisas com a realidade da empresa.

2- Crie uma cultura de segurança com os colaboradores da empresa

O comportamento dos usuários de uma empresa, desde os colaboradores até a direção da mesma, faz toda a diferença. Isso porque, como aponta uma pesquisa realizada pela PwC, 41% dos incidentes em segurança no Brasil têm origem dos próprios colaboradores, sendo um número preocupantemente, acima da média mundial, que é 35%.

Diante disso, é fundamental que a empresa trabalhe para que exista uma cultura de segurança em seu ambiente, com ações conscientes, levando cada um entender seu papel de responsabilidade em garantir a proteção das informações da empresa.

3. Adotar ferramentas de Segurança

Tão importante quanto às ações, são os recursos utilizados para proteger os dados da empresa. É indispensável que exista um planejamento para atender a realidade da mesma, e que faça-se uso de todas ferramentas necessárias para proteger a rede e as máquinas.

Ferramentas como Firewall, Antivírus, Web Filter, IDS/IPS são só alguns dos recursos que poderão garantir uma maior proteção para a rede da sua empresa.

Nós temos o melhor firewall, que irá não só mitigar as vulnerabilidades da sua empresa, mas proteger toda sua rede, otimizar e controlar a navegação da rede, entre outros recursos.

Clique no banner agora, para conhecer o AdmFirewall, um firewall completo, desenvolvido especialmente para atender as necessidades da sua empresa, protegendo e cuidado da sua rede.

banner-admfw-orcamento

4- Atualizações constantes

Manter as máquinas de trabalho atualizadas é fundamental. Isso ajuda não só no desempenho das operações, como na segurança das mesmas. Afinal, muitas falhas existentes, devido à desatualização, são exploradas pelos atacantes.

Um exemplo disso é o próprio famoso, e tão utilizado, Windows 7. Em janeiro, a Microsoft anunciou que não irá mais oferecer suporte para o Windows 7. No entanto, o sistema continua popular entre os latino-americanos. De acordo com dados da Kaspersky, cerca de 30% dos latinos ainda o utilizam diariamente.

Por isso, as atualizações dos sistemas precisam ser parte das ações de proteção e segurança das informações da empresa. Além das atualizações das máquinas, é crucial um acompanhamento e atualizações nos planos das estratégias utilizadas.

É imprescindível que a direção da empresa entenda e participe dessas ações, notando a eficácia dos recursos utilizados, bem como o que necessita ser modificado.

Adaptar-se à gestão da tecnologia é estratégico para qualquer empresa que deseja se manter competitiva.

Conclusão

Viu só como as vulnerabilidades não são só pequenas falhas que podem ser ignoradas, mas brechas que podem desencadear em portas abertas para ataques, gerando prejuízos e até impossibilitando a continuidade dos serviços de uma empresa?

Pois bem, é por isso que nós, da Starti, estamos sempre trabalhando para oferecer soluções para ajudar sua empresa a mitigar as vulnerabilidades, protegendo seus ativos mais valiosos: as informações!

Confira mais conteúdos em nossas outras plataformas:

YouTube | Facebook | Instagram | Linkedin

Cola com Starti, juntos nós vamos construir um #BRASILSEGURO!

Fontes:

Tripla | Ibliss Digital |  Kaspersky

Great! You've successfully subscribed.
Great! Next, complete checkout for full access.
Welcome back! You've successfully signed in.
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.